Umbanda e suas entidades

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Umbanda e suas entidades, sabe-se que a umbanda é uma religião brasileira riquíssima em muitos aspectos, especificamente cultural e historicamente. Essa religião irá “beber” de diversas fontes: existem elementos de religiões europeias, orientais, indígenas e por fim, africanas. Por isso, devido ao seu aspecto de mistura, a umbanda é considerada atualmente como uma religião originalmente brasileira.

Existe uma versão aceita que conta a origem da umbanda no dia 15 de novembro de 1908, durante uma sessão espírita em Niterói-RJ, onde um adolescente de 17 anos chamado Zélio Fernandino de Moraes, recebeu uma mensagem espiritual que o orientou a criar o culto religioso.

Desde esse dia, 15 de novembro tornou-se a data oficial para celebrar o Dia da Umbanda. A religião  é monoteísta, logo, reconhece a existência de apenas um único Deus. Vamos conhecer um pouco das demais entidades da umbanda?

1 – Caboclos

Os Caboclos são de uma linha de muita força espiritual, e naturalmente são guerreiros, poderosos e humildes. Sendo sempre observadores e sábios, procuram ajudar as pessoas em tudo que for possível. São sérios, quietos e diretos, sendo isso nada mais do que uma demonstração de sentimentos verdadeiros, já que são espíritos de luz e amor. Destacam-se por serem grandes conselheiros e pela forte ligação com a natureza.

2 – Malandros

A entidade mais popular dessa linha é o Zé Pelintra, entidade essa que ficou órfã de pai e mãe e, para tentar sobreviver, começou a praticar pequenos furtos e trapaças.

Este possui grande importância para a representação daqueles que estão marginalizados pela sociedade, pois este prova através de sua ação como Guia Espiritual que o falso conceito de malandro não é nada além de um estereótipo criado por aqueles que não tem uma visão dos verdadeiros desafios no caminho dos humildes.

Essa entidade é responsável por cuidar de pessoas esquecidas, maltratadas, que se prostituem e mulheres viciadas. Muitas pessoas desinformadas associam o Zé Pelintra com imagens malignas e criaturas que fazem o mau, porém, seu espírito se desenvolveu tanto após a desencarnação que voltou a este plano como Guias para benefício dos que o procuram.

3 – Pombagiras

Seu nome é derivado de Pambu Njila, como é conhecida em Angola. Na Umbanda, a Pomba Gira sempre luta contra pensamentos machistas, sempre evita ser subjugada e não há interferência mundana alguma em suas ações, sendo assim, considerada poderosa destemida, não abaixando a cabeça para nenhum confronto, livre de qualquer estereótipo e das convenções sociais.

A visão que ela tem mais ampla da vida e dos instintos humanos acabam a tornando dominadora do campo em que se manifesta e passa sua mensagem sempre com muito crédito e de fácil compreensão. O que se espera dessa Orixá e Guia, é sempre um desligamento total da hipocrisia, uma conexão com a sinceridade e a honestidade.

Uma pombagira muito famosa é a Maria Padilha, que em vida foi amante de Dom Pedro I de Castela (1334-1369), tendo sua imagem retratada sempre como uma mulher linda, sedutora, sensual e bem-vestida.

umbanda
Umbanda e suas entidades

4 – Ciganos

Os ciganos na Umbanda são entidades que gostam de ajudar as pessoas transformando suas vidas por meio do amor, da união e da fraternidade através da força da alegria. Uma característica importante dos ciganos é que nunca prendem ou humilham uma pessoa e, apesar do nome, não há ligação direta com povos ciganos espalhados pelo mundo.

Os ciganos são pessoas que colocam acima tudo a liberdade, a fé, a alegria e o amor. Gostam da riqueza e do bem-estar. E toda sua comemoração tem origem simplesmente da alegria de viver. Assim, na Umbanda, eles agem libertando, amando e transformando a vida através da alegria. Jamais serão guias que prendem ou magoam.

5 – Marujos/Marinheiros

Não são todas as regiões que a Umbanda é praticada que existe essa linha de entidades, porém, os marinheiros e marujos atuam como uma limpeza completa: mental, espiritual e física. Essas entidades são famosas por falarem a verdade e, como são espíritos que vêm do mar, estão sempre se balançando.

Um outro detalhe interessante é que a própria vivência nesse ambiente transformou suas vidas sofridas, mas cheias de aprendizado que compartilham com as demais pessoas.

6 – Erês

Os Erês são Guias e são estereotipados como crianças, porque essa é a sensação que eles passam com toda sua pureza. Porém, na verdade, eles são seres encantados, que nunca passaram pela experiência do existir humana.

A missão de cada Erê é ser um intermediário entre o contato das pessoas com os Orixás, eles são o ponto exato entre a nossa consciência humana e o inconsciente do Orixá.

Esses seres de luz trazem a energia de renovação, enchem as almas de esperança e empolgação por tudo que é novo, pois eles sabem que são nas incertezas que se pode encontrar as melhores respostas.

7 – Pretos – velhos

A característica mais marcante dessa entidade é a sabedoria que tem. Com uma linguagem simples e direta, esses espíritos de negros escravizados oferecem orientações e apontam direcionamentos para situações que aparentemente são sem soluções.

Conclusão

Agora você já sabe que dentro da Umbanda, sendo ela uma religião monoteísta, cada entidade tem uma linha específica para auxiliar a cuidar dos seres humanos e a atuar como guias protetores e espíritos ancestrais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *